Ortorexia – a obsessão por comida saudável

Alimentação 492 visitas Comentar

A ortorexia é um transtorno alimentar, que surge quando a pessoa se torna obsessiva quanto aos padrões daquilo que come. Ao contrário da anorexia ou bulimia, a pessoa permite-se comer, mas fica tão obcecada com o que come que todos os seus pensamentos ficam ocupados com a dieta.

Atualmente existe uma maior consciencialização da importância de uma alimentação saudável para uma maior qualidade de vida. Contudo surgem casos em que as recomendações alimentares são seguidas com extremismo, como é o caso da ortorexia.

Esta perturbação pode acontecer em certos indivíduos, por norma com perturbações psiquiátricas, com uma personalidade obsessiva-compulsiva, ou resultante das pressões que a sociedade actual vincam sobre determinada imagem corporal.

A palavra é um neologismo baseado no grego, em que orthós significa “correto” e “verdadeiro”, e oréxis quer dizer apetite. Trata-se de um quadro onde o portador é alguém muito preocupado com os hábitos alimentares e dedica grande parte do seu tempo a planear, comprar, preparar e fazer refeições o mais saudável possível.

Excluem da sua alimentação a carne (principalmente vermelha), as gorduras, alimentos onde foram adicionados aditivos, pesticidas e/ou herbicidas e outras substâncias que podem prejudicar o organismo.

Regra geral, estas pessoas costumam ser de tal forma restritivas, que se sentem culpadas quando não cumprem ou castigam-se com uma alimentação ainda mais rígida quando cometem um deslize.

As adolescentes são as mais afetadas, seguindo o modelo das grandes atrizes muitas das vezes excêntricas.

Ortorexia - a obsessão por comida saudável

Pessoas com ortorexia não poupam esforços na hora de ir às compras: percorrem longas distâncias, se necessário; pagam valores muito superiores aos dos alimentos comuns; dedicam grande parte do seu tempo a planear, comprar e a preparar refeições. Também a forma de preparar os alimentos e os materiais utilizados fazem parte do ritual obsessivo.

Frequentemente, recusam fazer refeições em restaurantes ou até em casa de amigos/familiares, pois desconhecem a qualidade dos alimentos servidos. Ou seja, para além dos potenciais prejuízos clínicos da ortorexia, existem também prejuízos sociais causados pelo isolamento.

Gorduras, lípidos, glúten e outros alimentos são considerados “maus” e, por isso, são imediatamente retirados da dieta diária. Uma pessoa que sofra desta perturbação pode passar vários dias a planear ao pormenor a ingestão de alimentos e a tendência é a de que estas restrições se tornem cada vez maiores e mais rígidas.

Em alguns casos, chega-se ao ponto de abstinência por se considerar que quase nenhum alimento é suficientemente saudável para ser ingerido.

De uma forma sintetizada, aqui ficam então alguns sinais de alerta:

Não sendo um profissional da área da nutrição, dá consigo a pensar em informação nutricional e alimentação mais do que 3h do dia?

Considera a alimentação o foco principal dos seus dias e a preocupação maior da sua vida?

Examina cada pormenor do que se encontra em cada alimento que ingere? Considera o valor nutritivo dos alimentos mais importante do que o prazer que estes dão?

Rejeita consumir alimentos que gostava de consumir por alimentos “bons”?

Sente dificuldade em comer uma refeição preparada por outra pessoa?

Sente-se em paz consigo mesmo e acredita que tem total controlo apenas quando come saudavelmente?

Tem melhorado a sua auto-estima por se alimentar de forma saudável?

Tem denotado uma menor socialização e restrição de algumas atividades em prol de uma alimentação saudável?

Ortorexia

O ortoréxico pode ficar com a mente tão ocupada em relação à alimentação, que não consegue mais trabalhar ou estudar, pois a sua concentração em outras ideias fica muito prejudicada, portanto a sua performance intelectual e produtiva reduz-se cada vez mais. O resultado é que ele fica desmotivado e distante das outras pessoas.

TRATAMENTO DA ORTOREXIA

Embora a ortorexia não seja ainda considerada, de forma consensual, uma perturbação do comportamento alimentar, especialistas de diferentes áreas da saúde mostram-se preocupados com esta obsessão e defendem que a ortorexia pode ter repercussões sérias para a saúde (física e mental).

O portador deste transtorno deve procurar ajuda médica e psicológica para que se possa libertar desta obsessão e reorganizar os seus padrões alimentares. É fundamental igualmente recorrer a um nutricionista.

Comer de uma forma mais saudável tem efeitos verdadeiramente positivos na saúde, sermos mais criteriosos naquilo que ingerimos é por isso vantajoso, desde que não se torne no epicentro da nossa vida interferindo na capacidade de desfrutarmos o nosso dia-a-dia, trabalharmos ou nos relacionarmos com os outros.

Ortorexia – a obsessão por comida saudável
4.9 (97.24%) 29 votos


AVISO: Este artigo é meramente informativo, não temos capacidade para receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico.
Consulte o seu médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *