Transtorno Obsessivo Compulsivo como lidar com esta doença

Equilibrio Emocional 819 visitas Comentar

O transtorno obsessivo compulsivo (TOC) é caracterizado por dois grupos de sintomas: pensamentos obsessivos e pelos comportamentos compulsivos. É considerada, pela OMS, uma das condições mais incapacitantes, juntamente com muitas doenças do foro físico, com impacto na vida familiar, profissional, social do individuo e na sua qualidade de vida.

O Transtorno Obsessivo Compulsivo -TOC tem como características a persistência e recorrência de obsessões, que se apresentam em forma de pensamentos, frases, palavras, cenas ou impulsos, que são considerados impróprios e que invadem a mente da pessoa, trazendo sentimentos de medo e desconforto.

Para se livrar de tais obsessões que são incontroláveis e buscar alívio, a pessoa passa a ter comportamentos repetitivos e estereotipados de forma compulsiva e em forma de rituais. Transtorno Obsessivo Compulsivo – TOC

Diante disso, a pessoa dispende um tempo enorme da sua vida, interferindo de forma veemente na sua rotina diária, pois uma tarefa simples como tomar banho, escovar os dentes, lavar as mãos, organizar material escolar, arranjar-se para sair, levam horas para serem executadas, desenvolvendo uma rigidez no comportamento que afeta a sua vida profissional, social e afetiva.

Conhece aquela verificação repetida e exagerada se o fogão está desligado, se a porta está trancada?

Ou aquele comportamento de lavar as mãos excessivamente porque tudo pode estar contaminado a ponto de feri-las de tanto lavar, levantar e sentar da cadeira, abrir e fechar a porta antes de entrar, preocupação com tudo estar absolutamente simétrico?

Se pensamentos ou comportamentos dessa natureza estão alterando a qualidade de vida do indivíduo, fazendo perder tempo excessivo do dia e até alterando a vida social, essa pessoa precisa de ajuda.

O transtorno obsessivo compulsivo (TOC) é profundamente limitador da qualidade de vida.

Apesar da sua frequência – hoje é reconhecido como a 4ª perturbação psicológica mais expressiva na sua prevalência, tão frequente como, no plano médico, a asma ou diabetes – acreditava-se ser rara e antes dos anos 60 não existia tratamento eficaz para lidar com a situação.

Felizmente, a realidade de hoje é outra e existem, já, formas de intervir, que permitem uma melhoria acentuada de sintomas em cerca de 80% dos casos, o que constitui uma excelente taxa de sucesso.

Transtorno Obsessivo Compulsivo

Obsessão

As obsessões são pensamentos, impulsos ou imagens mentais recorrentes e persistentes.

Quem sofre de transtorno obsessivo-compulsivo sente que estes pensamentos são intrusivos e indesejados, causando muita ansiedade e elevado mal-estar.

Algumas das obsessões mais comuns são:

  • Medo de atuar impulsivamente de forma agressiva;
  • Medo de provocar acidentes se não executar determinado ritual;
  • Obsessão com sujidade, micróbios e contaminação;
  • Preocupação excessiva com a ordem, a colocação e a simetria dos objetos;
  • Incapacidade de deitar fora objetos inúteis.
  • Como forma de ignorar ou eliminar estes pensamentos, o doente leva a cabo uma ação, isto é, uma compulsão.

Compulsões

São comportamentos repetitivos que uma pessoa com transtorno obsessivo compulsivo sente o desejo de fazer em resposta a um pensamento obsessivo.

As compulsões comuns incluem:

  • Limpeza excessiva e / ou lavagem das mãos
  • Ordenação e organização das coisas de uma maneira específica e precisa
  • Repetidamente verificar as coisas – exemplo – verificar repetidamente para ver se a porta está fechada ou se o forno está desligado
  • Contagem Compulsiva

Algumas pessoas também apresentam um transtorno com tiques. Os tiques motores são movimentos repentinos, breves e repetitivos, como piscar os olhos e outros movimentos oculares, encolher os ombros e movimentar a cabeça ou os ombros. Tiques vocais comuns incluem sons repetitivos de limpeza da garganta, farejamento, entre outros.

GENÉTICA

Estudos relacionados com gémeos e família têm mostrado que as pessoas com parentes de primeiro grau (pai, irmão) que têm o transtorno estão em maior risco de desenvolver transtorno obsessivo compulsivo. O risco é maior se o familiar de primeiro grau desenvolveu TOC em criança ou adolescente.

Como reagir perante a doença

Em primeiro lugar mentalize-se de que não é um problema sem solução. Aceite! A aceitação é o passo fundamental. Não vai conseguir combater algo que não assume que tem. Não seja preconceituoso. Só vai atrasar mais a realização da sua estabilidade.

O facto de ter um problema psicológico não quer dizer que seja maluco!

Tratamento do Transtorno Obsessivo Compulsivo

O tratamento pode ser medicamentoso e não medicamentoso. O medicamentoso utiliza antidepressivos inibidores da receptação de serotonina, bem como outras medicações.

A terapia cognitivo-comportamental é uma abordagem não medicamentosa com comprovada eficácia sobre a doença. O seu princípio básico é expor a pessoa à situação que gera ansiedade, começando pelos sintomas mais brandos. Os resultados costumam ser melhores quando se associam os dois tipos de abordagem terapêutica.

É sempre importante esclarecer o paciente e sua família sobre as características da doença. Quanto mais a par estiverem do problema, melhor funcionará o tratamento.

Ajuda familiar

O tratamento do transtorno obsessivo compulsivo deverá ser obrigatoriamente sistémico, ou seja, atuar em todos os pontos, inclusivamente no apoio familiar.

Para este fim, é necessário orientar os familiares e as pessoas que convivem com o paciente para que estes não se acomodem com os sintomas e nem os reforcem. Por outras palavras, a família não deve compactuar com as manias e os rituais.

Por exemplo: a regra é lavar as mãos apenas uma vez antes das refeições e não várias vezes; não ter exclusividade de talheres e copos se estes estiverem devidamente higienizados.

Psicoterapia

A psicoterapia pode ser um tratamento eficaz para adultos e crianças com transtorno obsessivo compulsivo. Pesquisas mostram que certos tipos de psicoterapia, incluindo a terapia cognitiva comportamental (TCC) podem ser tão eficazes quanto a medicação para muitos indivíduos.

A terapia é eficaz na redução de comportamentos compulsivos no TOC, mesmo em pessoas que não respondem bem à medicação.

Divirta-se

Arranje um passatempo – É importante começar a canalizar a sua atenção para outras coisas, principalmente se forem positivas.

Adopte um animal – O tempo que passará a cuidar dele não permitirá que o seu pensamento divague para coisas que lhe possam aumentar a sua ansiedade e consequentemente os seus sintomas de TOC. Faça aquele curso que sempre sonhou fazer! Saia com os seus amigos.

Faça exercício-físico – Além de estar a dar mais saúde ao seu corpo, fará com que este se recupere mais rapidamente. Se o fizer num ginásio, aproveite para fazer novas amizades, ao mesmo tempo que se distrai e convive menos com o seu problema.

E não precisa de gastar muito dinheiro para se distrair. Veja filmes, leia. Passeie ao ar livre. Veja pessoas, conheça os seus vizinhos. Veja montras. Cozinhe e surpreenda os seus familiares e amigos.

Em vez de comprar prendas faça-as, poupando dinheiro e mantendo a sua cabeça ocupada, além de que vai oferecer um presente único e pessoal.

Complementos

Para além da medicação pode também complementar o seu tratamento com sessões de acupuntura, reiki, yoga, meditação… Coisas que façam reduzir a sua ansiedade e algumas técnicas até ensinam auto-controlo. Encontrará imensas soluções dentro do seu gosto, vontade e disponibilidade.

Transtorno Obsessivo Compulsivo como lidar com esta doença
4.6 (92.8%) 75 votos


AVISO: Este artigo é meramente informativo, não temos capacidade para receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico.
Consulte o seu médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *