Ansiedade sintomas fisicos e tratamento

Bem Estar Emocional 808 visitas Comentar

A ansiedade pode ser definida como um estado mental de apreensão ou medo que antecipa uma situação desagradável ou perigosa, que é acompanhado de sintomas somáticos de tensão. O motivo de perigo pode ser interno ou externo.

Dentro de certos limites a ansiedade é natural e com utilidade, uma vez que representa um recurso adaptativo importante e incita as pessoas a procurar soluções positivas.

Este recurso pode tornar-se exagerado e frequente tornando-se assim patológico. Isto vai provocar alterações no funcionamento saudável do indivíduo nas várias vertentes do dia-a-dia.

A ansiedade excessiva origina o síndroma da desordem de ansiedade, que se caracteriza por um estado de ansiedade crónica, intensa para além do considerado normal ou desproporcional em relação aos factos ou acontecimentos que estão na sua origem.

De facto, o limite da normalidade do nível de ansiedade está na sua repercussão sobre o comportamento da pessoa. Consequentemente, quando a ansiedade ultrapassa o limite, ela origina uma preocupação excessiva, incontrolável ou mesmo irracional, de tal maneira forte e intensa que interfere na vida e actividade do dia-a-dia das pessoas que sofrem desta perturbação.

Sintomas Psicológicos da ansiedade

A ansiedade está ligada directamente com o nosso sistema mental, por isso, a maioria dos sintomas não são nítidos; não são sentidos na pele, mas sim, psicologicamente.

⇒ Más memórias: se já passou por alguma situação que marcou a sua vida de maneira negativa, algo realmente traumático e que costuma lembrar em certas ocasiões, completamente normal. Mas isso torna-se um transtorno de ansiedade à partir do momento que esse “Flashback” começa a aparecer constantemente na sua mente.

⇒ Autoconsciência: não são todas as pessoas que tem a desenvoltura de chegar a uma festa e conversar com todos, beber, comer sem sentir que está sendo inconveniente. A autoconsciência começa a tornar-se um mal assim que a pessoa se sente tão inconveniente de realizar uma tarefa, que desiste dela, logo tremem, suam.

⇒ Preocupação/perfeccionismo: esse sintoma aparece geralmente em pessoas que vivem em constante pressão na vida, pessoal ou profissional, e querem que tudo saia conforme (ou melhor do que) tinha planeado. O perfeccionismo é tanto que tais pessoas nem se dão conta de que toda essa preocupação para algo dar certo é na verdade uma ansiedade para ouvir opiniões positivas de quem as julgam.

⇒ Medos Irracionais: um dos factores que poucos conseguem observar na ligação com a ansiedade é o medo que alguma pessoa tem de animais, de voar ou de até mesmo estar no meio de uma multidão. Pode parecer apenas uma simples fobia, mas quando ela se torna exagerada, já cai na categoria de transtornos;  torna-nos incapazes de fazer mais do que a nossa mente te delimita.

A ansiedade está ligada ao envelhecimento

Como se manifesta a ansiedade?

Os sintomas mais comuns da ansiedade são as sensações de apreensão ou preocupação, de impotência, de medo ou pânico. Estas sensações associam-se frequentemente a sintomas físicos como o aumento da frequência cardíaca e respiratória, suores, tremores, sensação de fadiga, entre outros.

Ansiedade sintomas fisicos e tratamento

Os diferentes tipos de ansiedade apresentam manifestações específicas:

  • Os ataques de pânico podem começar de forma súbita, causando sintomas físicos muito fortes, quase de asfixia. o Na agorafobia, a ansiedade ocorre em ambientes nos quais o paciente se sente encurralado.
  • As fobias sociais ocorrem em circunstâncias de exposição social ou pública.
  • Na doença obsessiva compulsiva ocorrem pensamentos persistentes e um desejo incontrolável de repetir, sem razão aparente e sem propósito, um determinado ato.
  • No stress pós-traumático, o paciente sente que está reviver uma experiência traumática, referindo reacções emocionais e físicas muito intensas.

SINTOMAS FÍSICOS

Embora a maioria dos sintomas da ansiedade sejam psicológicos, existem alguns factores físicos, como taquicardia, dificuldade respiratória, tremores, suores e, ao mesmo tempo, antecipação do pior. Viver um presente, um passado e um futuro incerto, temeroso, preocupante. Distingue-se a ansiedade exógena, que vem de fora e deve-se a aspectos da vida, da ansiedade endógena, que é interior e deve-se a um desequilíbrio bioquímico.

Roer as unhas: este é o sintoma que mais se destaca que uma pessoa é muito ansiosa e acontece com mais de 63% da população. Geralmente, isso é nítido para quem está ao lado de alguém com transtornos de ansiedade: quem sofre cala-se, começa a pensar em problemas e imediatamente leva as mãos a boca para roer as unhas.

Quando a ansiedade se mantém pode fazer um caminho somático ou um caminho psicológico. O caminho somático pode afetar os músculos lisos do ser humano, que são fundamentalmente o aparelho digestivo e respiratório, e começa em forma de dispepsias [sensação de mau estar associada a náuseas, vómitos, azia], gastrites, úlceras de estômago.

Noutros casos aparecem problemas respiratórios: dificuldade em respirar, asma — há muitos casos de asma provocados pela ansiedade.

Há ainda casos em que as pessoas ficam hipocondríacas. Há dois tipos de hipocondria: a hipocondria “cum materia”, em que o sujeito tem um problema e fica hipocondríaco; e a hipocondria “sine materia”, em que o sujeito não tem nada, mas acha que tem tudo.

A ansiedade pode ser hereditária?

A ansiedade é herdada da personalidade. Uma parte da personalidade é hereditária — chama-se temperamento –, outra parte é adquirida — carácter — e outra é histórica — biográfica. Pode-se herdar do pai ou da mãe uma personalidade ansiosa, isto é, nervosismo, inquietude, desassossego, irritabilidade.

Como se trata a ansiedade?

É necessário não esquecer que a ansiedade é um fenómeno universal, que faz parte da nossa vida. Frequentemente, pequenas alterações no quotidiano ou nos hábitos podem diminuir ou mesmo eliminar as reacções ansiosas.

Pode ser útil adoptar no dia-a-dia hábitos simples que permitam reduzir os estados de ansiedade. São exemplos disso as técnicas de relaxamento e meditação, uma boa gestão e organização do tempo, uma comunicação regular e eficaz com os outros (tanto no trabalho como em casa), entre outros.

Dormir bem é, também, muito importante.

Por vezes, pode ser necessário o recurso a medicamentos, que deverão ser sempre prescritos pelo médico. Este tipo de tratamento é, habitualmente, de longa duração e deve ser cuidadosamente acompanhado.

Em alguns casos o tratamento com medicamentos pode ser complementado com apoio psiquiátrico.

O tratamento da ansiedade pode ser realizado no atendimento psicológico e visa uma diminuição dos sintomas, evitando que novos quadros ansiosos ocorram, possibilitando que o próprio cliente possa identificar os gatilhos para sua ansiedade, juntamente com formas de lidar com eles de uma maneira satisfatória.

Deve ser sempre evitada a auto-medicação.

ansiedade

Tratamento Natural para controlar Ansiedade

Existem algumas maneiras naturais de se tratar a ansiedade. Chás, alguns sumos naturais e até mesmo algumas verduras são muito boas para acalmar uma pessoa no começo de (ou durante) um surto.

– Remédios naturais para ansiedade – Sumo de maracujá, alface, chá de camomila e raiz de valeriana

– Exercícios para controlar a ansiedade – Pilates, natação, Massagem, Yoga, corridas e outras técnicas de relaxamento

– Coisas quotidianas que ajudam na ansiedade – Banho morno, mensagens de afecto, interacção social e apoio moral

Como lidar com uma crise de ansiedade?

“Há dias quando estava no supermercado senti um mal-estar no peito, parecia que não respirava, o coração batia muito e parecia que queria sair do corpo, suava, tinha o corpo frio, toda eu tremia, doía-me a barriga, parecia que ia desmaiar; fiquei com medo de morrer ou de ficar louca.”

  • Apesar das suas sensações e sintomas serem assustadores, não são perigosos.
  • Tente compreender que aquilo que sente é apenas um exagero das reacções normais do seu corpo à ansiedade.
  •  Não lute contra elas nem tente afastá-las; a sua intensidade irá diminuindo pouco a pouco.
  • Tente não pensar em coisas do tipo “o que pode acontecer?”…”e se eu desmaiar?”… “e se eu perder o controlo?”. Se der consigo a pensar ”e se…?”, diga para si próprio “e então?!”
  •  Mantenha-se no presente; verifique o que realmente lhe está a acontecer e não o que pode vir a acontecer.
  • Vá classificando o seu medo numa escala de 0 a 10 enquanto tem a crise; irá reparar que o medo só se mantém num nível elevado durante alguns segundos.
  • Quando der consigo a pensar no medo concentre-se numa tarefa muito simples, como contar de 100 para trás ou tente visualizar uma imagem que lhe inspire calma e bem-estar.
  • Repare que quando deixa de acrescentar pensamentos assustadores ao seu medo, este vai gradualmente desaparecendo.
  • Quando o medo surgir, espere e aceite-o, dando-lhe tempo para que desapareça, sem fugir dele.
  • Orgulhe-se de si e dos seus progressos, pense como se sentirá bem depois desta vitória.

Ansiedade sintomas fisicos e tratamento

Medicamentos

Existem diversos medicamentos farmacêuticos para controlar a ansiedade. Entretanto, é preciso ter em mente que todos eles oferecem grandes riscos para a sua saúde quando não são ingeridos de uma forma correta.

 

 

 

Antidepressivos – remédios de origens antidepressivas que podem serem usados por quem sofre de ansiedade em nível extremo. Não é recomendado de modo algum para quem está com apenas alguns sintomas leves, pois podem causar uma séria dependência, além de problemas inimagináveis.

Ele age de dois modos na mente do ser humano: quando atua sobre os neurotransmissores, ele dá uma sensação de fortificação do ânimo, diminuindo assim as fobias e os medos, fazendo com que a pessoa fique muito mais corajosa e segura consigo e com todos a sua volta.

Já o outro ponto é a melhoria na ansiedade. Ele faz com que as preocupações sejam minimizadas e os maus pensamentos desconsiderados pelo cérebro. Entretanto, a dependência emocional que se constrói para com os Antidepressivos é muito alta.

Ansiolíticos – Conhecido popularmente como tranquilizantes. Tais remédios tem o poder de anestesiar de forma parcial a sua sensibilidade neurológica. Assim,  perde a capacidade de ter excitações nas suas emoções.

Mas os efeitos colaterais por trás de todos estes remédios que se enquadram como ansiolíticos variam muito: desde a sonolência, até fraqueza emocional e física quando usados à longo prazo. E claro, causa muita dependência devido ao seu efeito relaxante.

Anti Psicóticos – Usados somente quando o nível de ansiedade está ao extremo e a pessoa começa a ter associações com problemas bem graves mentalmente, que já não conseguem distinguir o que é real ou imaginário.

Convém lembrar que estas 3 categorias de remédios para a ansiedade precisam de prescrição médica, além de um acompanhamento profissional MUITO próximo.

Tenha em mente que são medicamentos que vão alterar todo o seu sistema cerebral, é preciso ter muito cuidado; seguir a risca as recomendações.

A psicologia moderna e interventiva está a criar modelos terapêuticos que ajudam as pessoas a saírem dos estados de Ansiedade de uma forma eficaz e eficiente, restabelecendo o equilíbrio reactivo às experiências do dia a dia, permitindo uma adequada resposta às dificuldades sem que se torne, a própria Ansiedade, numa dificuldade.

Terapias da Mente
91 1000 333 / 252 21 83 88
https://www.terapiasdamente.pt
terapiasdamente@gmail.com

Ansiedade sintomas fisicos e tratamento
4.5 (89.23%) 26 votos


AVISO: Este artigo é meramente informativo, não temos capacidade para receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico.
Consulte o seu médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *