Tratamento Natural para Alzheimer e os seus sintomas

Curas Naturais 2333 visitas 7 Comentarios

Tratamento Natural para Alzheimer

No começo são os pequenos esquecimentos, normalmente aceites pelos familiares como parte do processo normal de envelhecimento, que se vão agravando gradualmente. As pessoas com Doença de Alzheimer tornam-se confusas, passando a apresentar alterações da personalidade, com distúrbios de conduta e acabam por não reconhecer os próprios familiares e até a si mesmas quando colocadas frente a um espelho.

À medida que a doença evolui, tornam-se cada vez mais dependentes de terceiros, iniciam-se as dificuldades de locomoção, a comunicação inviabiliza-se e passam a necessitar de cuidados e supervisão permanente, até mesmo para as actividades elementares do quotidiano como alimentação, higiene, vestuário, etc..

Muitas vezes, pode ser difícil perceber a diferença entre as mudanças características do envelhecimento e os primeiros sinais da Doença de Alzheimer. A perda de memória é uma característica natural do envelhecimento. Mas quando a perda de memória começa a perturbar a vida quotidiana da pessoa, já não estamos a falar de algo natural, mas sim daquilo que poderá ser um sintoma de demência.

Num cérebro saudável, existem biliões de neurónios (células nervosas) que geram impulsos eléctricos e sinais químicos, que nos ajudam a pensar, a lembrar e a sentir.

Nas pessoas com Alzheimer, os neurónios começam a morrer, afectando a produção normal de impulsos e sinais no cérebro. A característica-chave desta doença é a formação de placas emaranhados no cérebro. Estas placas consistem em proteínas normalmente inofensivas, chamadas beta-amilóides. Pensa-se que pode estar envolvido um defeito genético nestas proteínas, contribuindo para o desenvolvimento da doença.

ESTIMULAR O CÉREBRO
Nunca é demasiado tarde para estimular o cérebro e exercitá-lo diariamente pode fazer a diferença:

  • Aprenda uma língua ou arranje um novo hobbie;
  • Experimente actividades diferentes, faça puzzles ou torne-se um expert em palavras cruzadas, no jogo Scrabble ou no Sudoku;
  • Ouça música, aprenda a tocar um instrumento musical ou dance: qualquer uma destas actividades estimula o cérebro;
  • Ensine os outros. Esta é uma óptima forma de reter informação – tem de a saber suficientemente bem de modo a conseguir explicá-la eficientemente;
  • Esteja consciente do que se passa à sua volta: ouça o barulho da água enquanto toma banho ou saboreie o leite que bebe ao pequeno-almoço;
  • Diga piadas. Esta é uma excelente forma de desafiar o cérebro, tal como ensinar. O sentido de humor pode ter efeitos muito positivos na memória;
  • Em vez de escrever uma lista de tarefas, visualize-a mentalmente, como se fosse uma imagem. A partir daí construa ramos, subcategorias, etc. Este exercício trabalha a imaginação e obriga-o a associar ideias e outras imagens.

Tratamento Natural para Alzheimer

Alzheimer | Sinais e Sintomas

• Confusão e desorientação;
• Depressão;
• Dificuldade em executar as tarefas domésticas (por exemplo, cozinhar ou apertar os atacadores dos sapatos);
• Dificuldade com o pensamento abstracto (por exemplo, lidar com números);
• Perda de memória gradual;
• Aumento do esquecimento;
• Perda da capacidade de julgamento (dificuldade em resolver problemas quotidianos);
• Paranóia;
• Mudanças de personalidade (humor).


Os sintomas e a progressão da doença variam entre os indivíduos. À medida que a doença progride, há um declínio nas habilidades de linguagem e na capacidade de realizar tarefas. A duração média de tempo entre o diagnóstico da doença e a morte é de cerca de oito anos, mas algumas pessoas vivem mais de dez anos.

Factores de Risco
Idade: a doença é mais comum em pessoas com mais de 65 anos, mas raramente pode afectar pessoas com menos de 40 anos
Toxicidade ambiental: a poluição e o tabagismo geram excesso de radicais livres. Algumas investigação têm ligado a exposição a alumínio e a mercúrio à doença
História familiar: ter um dos pais ou irmão com a doença aumenta o risco, pois existem mutações genéticas que podem ser herdadas
Sexo: as mulheres estão em maior risco
Traumatismo craniano: alguns estudos demonstraram que os traumas na cabeça aumentam o risco de Alzheimer
Terapia de substituição hormonal: os resultados de um estudo em grande escala sugeriram que as mulheres que tomam estrogénio depois dos 65 anos correm maior risco de contraírem a doença
Estilo de vida: sedentarismo, obesidade, má alimentação e tabagismo aumentam o risco. A diabetes mal controlada aumenta o risco.

Alzheimer sintomas

Alzheimer | Conselhos práticos para os cuidadores

Geralmente, quem cuida do doente de Alzheimer sofre tanto ou mais do que o próprio paciente. É muito fácil cair no desânimo e esgotamento. Para manter o equilíbrio emocional e enfrentar melhor o dia a dia de convívio com a doença, é importante que se mantenha um diálogo constante e sincero entre a família, o doente e a equipa médica e social. Perceber o que está a acontecer ajuda a aliviar o stress e a reduzir a ansiedade.

Existem várias associações a que o cuidador poderá pedir apoio. Não deixe que o bem-estar da pessoa que cuida dependa unicamente de si e continue a ter actividades sociais que lhe dêem prazer. Embora por vezes seja difícil, não leve o comportamento do doente a peito e tente sempre ser paciente.

Em termos práticos, deve seguir alguns conselhos:

  • Adaptar a casa, desobstruir os lugares de passagem para evitar quedas;
  • Utilizar recados escritos em post it para relembrar tarefas necessárias ou mesmo informações simples e colá-los em locais visíveis (na porta do frigorífico, por exemplo);
  • Escrever o nome de cada membro da família numa fotografia em que todos estejam presentes;
  • Criar rotinas que ajudem o doente e o façam sentir-se integrado e útil;
  • Não deixar o doente sair sozinho;
  • Arranjar uma bolsa própria que se prenda à cintura para o doente andar sempre com o telemóvel, mesmo em casa;
  • Ter um número de emergência nos números de marcação rápida do telemóvel.

Alzheimer tratamento

PODER ANTIOXIDANTE

Um estudo norte-americano verificou que um grupo de idosos com algumas perdas de memória que consumiu, ao longo de 60 dias, dois copos e meio de sumo de mirtilos por dia, demonstrou melhores resultados em testes de memória do que o grupo de idosos que não bebeu o sumo.

Os mirtilos são uma fonte privilegiada de substâncias antioxidantes, as quais se crê exercerem um efeito protector em relação a determinadas patologias.

Os ácidos gordos ómega 3, que se encontram em abundância no salmão, sardinha ou nozes são também uma classe de antioxidantes que deve integrar nos seus menus.

TRATAMENTO DE ALZHEIMER

O diagnóstico da doença de Alzheimer é essencialmente feito através da história clínica e da entrevista médica. Os exames complementares imagiológicos (tomografia, ressonância magnética) e analíticos não auxiliam o diagnóstico, sendo essencialmente úteis para excluir outras causas da demência.

Actualmente não existe tratamento que permita travar a evolução da doença. A abordagem médica visa sobretudo ajudar a manter as funções cognitivas, sociais e atenuar os sintomas, através de fármacos para corrigir os desequilíbrios químicos ao nível do cérebro e gerir os problemas do foro comportamental, em conjunto com outras terapias comportamentais.

Quando existe a dúvida se as queixas de memória são indiciadoras de algum problema mais sério do que o normal processo de envelhecimento, recorra a um especialista.

O diagnóstico precoce da doença pode ser determinante, uma vez que os tratamentos existentes são mais eficazes quando ainda existem células cerebrais sobre as quais os fármacos podem actuar.

Tratamento Natural para Alzheimer e os seus sintomas
4.6 (91.05%) 38 votos


AVISO: Este artigo é meramente informativo, não temos capacidade para receitar nenhum tratamento médico nem realizar nenhum tipo de diagnóstico.
Consulte o seu médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.
7 Comentários
  1. Fernanda Jessus

    | Responder

    Ninguém faz ideia de quão desgastante é para quem cuida de pessoas com ALZHEIMER. Bom artigo.

  2. Nina

    | Responder

    Sei bem o que é lidar de perto com esta triste doença

  3. Gonçalo Passos

    | Responder

    Muita paciência e AMOR acima de tudo para quem cuida de …

  4. Filipa

    | Responder

    Nunca imaginei ter que passar por esta terrível doença na família

  5. Vitória

    | Responder

    Artigo muito importante nos dias que correm… infelizmente cada vez mais casos desta doença.

  6. Nuno Cardoso

    | Responder

    Muito boa informação

  7. maria adelaide p.s.santos

    | Responder

    interessante… continuem a investigar para que encontrem uma cura…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *